Categorias
Notícias

Palavras-passe seguras, como se constroem?

Um dos principais problemas com as palavras-passe é a sua reutilização, ou seja, utilizar a mesma palavra-passe em diferentes serviços. Esta prática, que por sinal é muito comum, significa que a nossa protecção é a do serviço com a segurança mais fraca, bastando romper essas defesas para conseguir acesso a todos os nossos serviços.

A utilização de palavras-passe inseguras é completamente desaconselhada, mesmo no caso de o serviço aceitar este de tipo de palavras-passe, deveremos sempre optar por uma palavra-passe complexa.

Para criar uma palavra-passe complexa podemos dividir em 3 passos:

Uma sequência estática;

Símbolos;

Serviço;

A sequência estática é a parte da palavra-passe que se vai manter fixa.

Por exemplo, se o lugar preferido para passar férias for Monte Gordo, poderemos utilizar MontegordO como a parte estática da palavra passe. Note-se, a utilização propositada de letras maiúsculas, no início e no final da sequência estática

Símbolos, a utilização de símbolos é um factor de segurança acrescido, assim poderemos utilizar o $, €, %, &, # etc. juntando-os á sequência estática.

Exemplo: Monte%gordO

Serviço

Imaginando que o Facebook é o serviço, podemos utilizar um qualquer factor que associemos ao Facebook, atenção que nunca deveremos utilizar o nome do serviço,

Monte%gordOfacebook é errado porque, segundo a lógica, utilizaríamos para o Twitter Monte%gordOtwitter o que faria com que, descobrindo uma das palavras-passe, seria simples adivinhar as outras.

Uma característica do Facebook é a cor do azul do logótipo, o que faria a password ficar da seguinte forma Monte%gordOazul, ou o ano em que entrámos no facebook, Monte%gordO2009.

A mesma lógica aplicada a todos os serviços.

Por exemplo Gmail. Monte%gordOcorreio.

Mais uma vez as palavras passe com 1234567 ou 7777777, ou que nos identifiquem, como ano de nascimento, nomes de animais de estimação etc. são totalmente desaconselhadas, embora façam parte ano após ano das palavras passe mais utilizadas.

As palavras-passe devem ser alteradas regularmente, o ideal seria de 3 em 3 meses, ou sempre que surjam notícias de que algum serviço comprometeu os dados dos utilizadores.

Existem sites na Internet que nos permitem saber se o nosso endereço de email, esteve ou está comprometido, por exemplo esta avast, onde se poderá obter resultados como este:

Em resumo a complexidade da palavra-passe e a periodicidade com que a alteramos são um factor extra de segurança na nossa presença na na Internet.

Um Alerta: Não utilizar nenhuma das palavras-passe mencionadas neste artigo.

Ajude-nos a crescer, visite a nossa página do Facebook e deixe o seu gosto, para ter acesso a toda a informação em primeira mão. Se achou o artigo interessante não esqueça de partilhar com os seus amigos ou nos seus grupos.